Tag Archives: Fanboy

Relação-não-relação

16 abr

Um outro problema é: não me apegar as pessoas! Eu não consigo manter uma relação, sem ter uma relação, me relacionando com alguém, mas sem estar relacionado. Entende? Lógico que entendeu… Como não poderia?!

Ficar apenas uma vez não chega perto da caixinha de estar se relacionando com alguém, até ai consigo entender. Mas ficar várias vezes, durante um tempo, isso já abre a tampa.

Então não entendo, não sei como me comportar diante uma “relação-não-relação”. Ficar sem compromisso, se ver durante 5 dias seguidos, ficar sem se falar durante 10, sair durante duas semanas, ficar sem se ver durante três.

Não estou aqui querendo ser louca e querer visitar periódicas, não se trata disso. E sim de… Não sei descrever.

Se estou com uma pessoa, mesmo que não seja algo serio, se falar as vezes, se ver as vezes tudo bem. Estamos “ficando”. Podemos viajar, ir à festas juntos, pois estamos “ficando”. Agora ficar com uma pessoa durante um tempo, depois agir como se nada tivesse acontecido, e depois relembrar e ficar novamente, isso não dá.

Uma coisa que o Fanboy fazia e que me deixava doida era ficar me provocando, mas não tive esperanças com ele, e nem fiquei confusa.

Com o Leitão eu que tive que dar um basta, pois não queria continuar saindo com ele.

Mas com O mentiroso, eu estava gostando de ficar com ele, e queria sair com ele nos finais de semana, mas nunca dava, e o fato dele ficar sem falar comigo… (a continuação sobre ele está em outro post). O comportamento dele me deixou bem confusa. E o fato dele não falar meu nome para as outras pessoas no telefone: Estou com uma amiga! (ta isso é paranóia).

Em fim, eu não sei como me comportar. E não sou de ficar com mais de uma pessoa, então… Não faça nada!

Nada acontece sem querer!

O primeiro…

6 abr

Passando toda a fase de choro (que não tinha bem passado), algumas coisas engraçadas começaram a acontecer: pessoas ressurgindo das profundezas do mar sem fim (filme lindo por sinal). Incrível! Pessoas que nem lembrava que me conhecia se manifestaram quando nas redes sociais comecei a ser apresentada com um perfil “solteira”. Realmente incrível, isso nuca havia ocorrido, foi um momento de acordar o Ego, tirar o poeira, mandar ele tomar um banho e colocar um belo terno. Gente, não estou querendo me achar, nunca fui disso, mas isso é muito bom para qualquer mulher. Você senti que existem pessoas no mundo que te admiram, mesmo que seja só a aparência no começo.
O primeiro rapaz com quem fiquei vamos chamá-lo aqui de Fanboy . Eu já havia dado um beijo neste rapaz antes mesmo de começar a namorar, eu era louca por ele, não louuuuca, mas louca, entende? Mas uma hora eu fiquei de saco cheio de ficar tentando conversar com ele, ser legal, então comecei a falar apenas o básico com ele. E não é que ele começou a falar comigo? Por que vocês homens têm dessas coisas? Não é mais fácil manter um diálogo quando a menina também está afim disso? Precisa mesmo esnobar, para depois, quando ela começar a fazer isso vocês começarem a se mexer? Realmente não entendo… Em fim, depois do beijo que ele me deu, ele sumiu. Desapareceu, tomou pó-de-pirlimpimpim. E eu fiquei sem entender nada. Ele sempre foi daqueles de fazer gracinhas, paquerar, ficar falando que é louco… Mas nunca havia acontecido nada. E quando aconteceu eu fiquei tão surpresa, eu realmente não esperava. Então foi só isso que aconteceu. Alguns meses depois eu comecei a namorar, mal falava com ele.
Assim que terminei ele voltou a conversar comigo, trocamos telefone, e um dia ele me ligou. Conversamos por um bom tempo, e continuamos por um tempo pela net.
Mas depois de um mês mais ou menos, e nada, as conversas foram diminuindo e minha paciência também, então parei de ficar curtindo as coisas dele no face (que coisa horrível de se declarar). E não é que do nada ele me chama para ir no cinema? Eu fui (lógico). Ele enrolou o filme todo (ah, escreverei logo um post exclusivo sobre eu e o cinema após ter me tornado ex-namorada), e nada. Quando estávamos indo embora finalmente um beijo., e alguns outros.
Desta vez ele não desapareceu, continuou a falar comigo. Um tempo depois começou com a história de saudade, que queria me ver novamente, mas nada até agora. Eu parei de chamar ele para sair, e confesso que nem me interessa mais, ai mais se eu conseguisse entender o que se passa nessas cabecinhas.